Por iniciativa do Comendador Adelino Dias Costa, de sua Esposa D. Assunção Leite e em homenagem ao seu único filho, falecido ainda jovem, foi instituída, em Dezembro de 1967, a Fundação Benjamim Dias Costa.

A sua primeira Direcção tomou posse em 8 de Janeiro de 1968 e a Instituição iniciou a sua actividade na Casa do Freixieiro, solar novecentista adquirido pelo fundador para sede e que foi devidamente recuperado e equipado para a função de infantário.

Reconhecimento

O reconhecimento oficial da Fundação foi feito por despacho do Ministro da Saúde e Assistência em 11 de Dezembro de 1967, publicado no Diário do Governo (III Série Número 302), de 30 de Dezembro do mesmo ano.

A Fundação Benjamim Dias Costa encontra-se registada, a título definitivo, na Direcção-Geral da Segurança Social, desde 13/02/1984 no Livro n.º2, sob o n.º 09/84, a folhas 37 e 37 verso, em conformidade com o disposto no n.º2 do artigo 7º do Regulamento de Registo das Instituições Particulares de Solidariedade Social, aprovado pela Portaria n.º139/2007, de 29 de Janeiro.

Objectivos

O objectivo original da Fundação (apoiar a educação pré-escolar de crianças filhas de operários) não era estranho à bem sucedida actividade industrial do Comendador Adelino Dias Costa, fundador da fábrica de mobiliário metálico Adico. O contínuo e dinâmico crescimento económico de Avanca também aumentou a necessidade desse serviço educativo de creche e infantário, que foi extraordinariamente enriquecido com a presença de três religiosas da Congregação das Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena, que fixaram residência na própria Instituição. A presença desta comunidade foi, até 2009, um esteio fundamental na filosofia de actuação e na história da Fundação. Determinante foi, ainda, a colaboração dos primeiros funcionários: Adelaide Carvalho (educadora), Preciosa (costureira), Germana (cozinheira), Maria de Jesus e Pérola (serviços de apoio e limpeza), Joaquim e Augusta (caseiros).

Dirigentes

A primeira Direcção Administrativa da Fundação foi liderada pelo Tenente-Coronel Ricardo Vaz Monteiro, ex-Governador de S. Tomé e Príncipe e da Guiné-Bissau, várias vezes Deputado à Assembleia Nacional e dilecto amigo do fundador. Com a morte do seu primeiro Presidente, em 1976, a Fundação passou a ser liderada pelo Dr. António Duarte de Oliveira, médico e personalidade marcante na história de Avanca. Por falecimento deste, em 1978 tomou posse o actual Presidente do Conselho de Administração da Fundação, o Eng. Manuel Avenilde Rodrigues Valente, empresário.

Entre os muitos dirigentes que deram o seu precioso e voluntário contributo à Fundação, destacaram-se, pelo especial envolvimento e determinante presença a Dra. Maria Adelina da Costa Carvalho e os Srs. António Dias Costa, Augusto da Rocha Ferreira, Monsenhor Manuel José Amador Fidalgo, Dr. Armando da Silva Vigário e Dr. Casimiro Augusto da Silva Tavares.

A mais importante história da Instituição é, todavia, a das vidas dos muitos alunos que passaram pela Casa do Freixieiro e pelas mãos da determinante colaboração dos seus funcionários e dos muitos amigos generosos com que conta. A Fundação Benjamim Dias Costa continua a ser o coração de uma enorme família ainda apaixonada pelo ambiente sereno dos seus jardins, pelo agitar cativante das canas da Índia, pelas canções e brincadeiras das mais de duas centenas de crianças que, diariamente, a povoam.